Cinco livros para entender Fidel Castro


Fidel Castro completa neste sábado (13/8) 90 anos. O Bloco selecionou cinco livros editados no Brasil que ajudam a compreender as várias facetas do líder máximo da revolução cubana. A lista é eclética. Separamos até uma biografia em formato de HQ feita por um cartunista alemão.  

1. Fidel Castro - Biografia a duas vozes

Ignacio Ramonet conseguiu um feito alcançado por poucos jornalistas: entrevistar Fidel Castro. E não foi uma conversa qualquer: foram cem horas de gravação que resultaram nesta biografia mais que completa: Fidel Castro - Biografia a duas vozes, publicada no Brasil pela Boitempo. Foi a mais longa entrevista já concedida a um jornalista. No livro, Ramonet conta como o filho de latifundiário que estudou em escola de jesuítas comandou a revolução cubana de 59 e lidera um país há mais de meio século. É a biografia mais completa de Fidel publicada no Brasil. A tradução é de Emir Sader, e o prefácio, de Fernando Morais.

"O volume de informações contidas nesta obra faz com que Fidel Castro: biografia a duas vozes deixe de ser apenas um livro que se lê numa sentada para se converter em uma referência permanente para quem quiser entender melhor a história desse homem, Fidel Castro, e de sua Revolução Cubana. Este é, sem dúvida, um livro indispensável.” - Fernando Morais

Onde encontrar:  Estante Virtual (esgotado, o livro só está à venda em sebos)

Fidel Castro na ONU em 1960   (Warren K. Leffler/Biblioteca do Congresso/Wikicommons)

Fidel Castro na ONU em 1960   (Warren K. Leffler/Biblioteca do Congresso/Wikicommons)

2. De Martí a Fidel: a Revolução Cubana e a América Latina

A Carta Capital chamou este livro de 'Wikileaks do professor Moniz Bandeira'. O espírito é esse mesmo. Para escrever este livro publicado pela Civilização Brasileira, o professor, historiador e cientista político Moniz Bandeira pesquisou o arquivo do Itamaraty. Muitos desses documentos encontrados pelo escritor eram considerados confidenciais e secretos durante os anos 50 e 60. Moniz Bandeira também teve acesso a documentos de San Tiago Dantas, Ministro das Relações Exteriores do Governo João Goulart. Essa pesquisa retrata o olhar de Brasília sobre a revolução cubana. Mas De Martí a Fidel é muito mais do que isso: o autor recria a história de Cuba desde os anos 30 e contextualiza o processo histórico da ilha com outros episódios marcantes na América Latina. 

'A leitura permite compreender melhor porque, na América Latina, é impossível ser de esquerda sem ser nacionalista. Gente que faz política apenas com base em teorias europeias costuma torcer o nariz diante de posições nacionalistas. Nacionalismo, na Europa, é associado a fascismo. Na América Latina, ser nacionalista é a melhor forma de lutar por países mais fortes, menos desiguais' -  Rodrigo Vianna, na Carta Capital

Onde Comprar: Livraria Cultura (R$ 109,90)

Lula e Fidel Castro (Ricardo Stuckert/Agência Brasil) 

Lula e Fidel Castro (Ricardo Stuckert/Agência Brasil) 

3. Fidel Castro - As declarações de Havana

Escritor, jornalista e ativista paquistanês, Tariq Ali é um dos principais nomes da esquerda mundial. Neste Declarações de Havana, de preciosas 144 páginas e publicado pela Zahar, Tariq Ali reúne discursos marcantes de Fidel Castro, que é conhecido por seu poder de oratória incomum. O livro se divide em três capítulos: A história me absolverá, Primeira Declaração de Havana e Segunda Declaração de Havana. O primeiro capítulo resgata o discurso magistral de autodefesa que Fidel fez quando foi preso em 1953, antes da Revolução Cubana.

'Socialmente, a Revolução Cubana criou um sistema educacional e um serviço de saúde que continuam a dar inveja em grande parte do mundo neoliberal. A história será o juiz supremo, mas Fidel Castro já foi elevado, por um vasto número de latino-americanos, ao pedestal ocupado pelos grandes libertadores como Bolívar, San Martín, Sucre e José Martí' - Tariq Ali

Onde comprar: Amazon (R$ 24,93).

4. A Ilha

Publicado pela primeira vez em 1976 (e pela última em 2001, editado pela Companhia das Letras), o livro A Ilha, de Fernando Morais, já foi reimpresso mais de 30 vezes (e está esgotado novamente). Trata-se de um livro-reportagem escrito por dos melhores jornalistas do País. Não é um livro exatamente sobre Fidel Castro, mas Fernando Morais descreve a Cuba pós-revolução e aborda temas como saúde, educação e economia. É preciso levar em conta, no entando, que A Ilha é um retrato de uma época. Muita coisa mudou em Cuba desde a primeira edição do livro, como por exemplo a abertura econômica, a reaproximação com os Estados Unidos e a indústria do turismo, que modificou o país. Ainda assim, é um clássico que merece ser lido e relido. 

Onde comprar: Estante Virtual (esgotado, o livro só está à venda em sebos)

5. Castro

O cartunista alemão Reinhard Kleist escreveu uma biografia de Fidel em formato de HQ. O fio condutor da história é de um jornalista que chega a Havana no final de 58 para escrever sobre o líder do movimento que culminaria com a revolução cubana. Kleist viajou a Havana em 2008 para produzir a biografia em quadrinhos. O prefácio foi escrito pelo jornalista alemão Volker Skierka, autor de Fidel Castro: A Biography (não há edição em português). Skierka ajudou Kleist na produção dos textos do trabalho feito pelo cartunista. "Não acho que esse livro seja especificamente sobre Fidel Castro. Na verdade, é sobre a revolução, e a personagem forte que ele representa", disse Kleist a agência Deutsche Welle na época do lançamento. No Brasil, o livro foi lançado pela 8Inverso Graphics.

"Queria retratar (Fidel) Castro, esse homem tão diferente de todos nós. Como se transformou no homem que há por trás daquela barba e do uniforme? Também tentei descrever a força e a beleza que há em cada revolução, como pudemos comprovar recentemente nos países árabes. Os problemas se produzem mais tarde, quando chega o momento de lidar com o pode" - Reinhard Kleist (entrevista à agência EFE).

Onde comprar: Fnac (R$ 40,80)





#bloco: 
www.josemarticultural.org/bloco/

 

 

 

Comment